Vereadores realizam videoconferência com representes da Sabesp e cobram solução para atendimento deficitário realizado pela empresa

Por | 27/05/2021


Foto:Divulgação

Devido a inúmeras reclamações que os vereadores do município de Embu das Artes recebem, constantemente, em relação aos serviços prestados pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) aconteceu, na manhã desta quarta-feira (26), uma reunião entre os parlamentares e representantes da empresa de saneamento.


Segundo Renato Oliveira, presidente da Câmara, já foi explicado para alguns vereadores que a Sabesp está num processo de transição e está encontrando dificuldades para trocar empresas terceirizadas que atendem o município de Embu das Artes. “Nós entendemos, mas não aceitamos, pois precisamos chegar a um denominador comum e resolver problemas que assolam diversas comunidades locais”, esclareceu o parlamentar.


Entre os problemas abordados, os vereadores levantaram questões de vazamento de água, esgoto a céu aberto, falta de regularidade no abastecimento, buracos abertos e não tampados, entre outras reclamações. “No dia de deixar a conta nas residências para serem pagas tem sempre um representante que não falta, quando é para cortar a água da residência que está atrasada também, mas para fazer a manutenção na estrutura não tem, ou seja, a Conta chega, mas a agua não”, explicou o vereador Gerson Olegário que concluiu: “. Hoje a gente paga a água, o esgoto e o ar dos encanamentos, é preciso tomar uma providência”.


A vereadora Aline Santos também questionou que para a Sabesp fazer cortes nas residências não falta equipe, mas para realizar obras de manutenção o problema é o contrato de trabalho com a empresa terceirizada. “É desumano você como parlamentar saber que uma comunidade está há sete dias sem água e as pessoas estão pegando água numa bica para lavar arroz”, disse.


Todas as regiões de Embu das Artes foram questionadas por algum tipo de problema no fornecimento da empresa de saneamento, como Parque da Chácara, Jd São Francisco, Favela Dois Palito, Chácara Caxingui, Jd da Luz
“A população não quer saber quais os problemas da empresa, eles cobram para a gente e a gente repassa para a sabesp”, completou vereador Dedé.


Em nome da empresa, Fernando Cotta Preta, gerente responsável da unidade de gerenciamento Guarapiranga afirmou que o contrato com a empresa terceirizada que presta serviços para Embu das Artes e Interlagos foi rompido, mas a Sabesp já licitou um contrato emergencial e necessita de 15 dias para iniciar os trabalhos.